Bolsa de Valores e Ações: Como Começar a Investir

fundos de investimento

Olá Velotaxers, tubo bem? Essa semana vamos tratar de uma temática um pouco diferente por aqui. Elaboramos um guia básico para você que deseja investir em ações na bolsa de valores, mas ainda tem dúvidas sobre como fazer isso na prática.

O artigo de hoje tem o intuito de te ajudar a tomar decisões seguras e mostrar que a Bolsa de Valores não é um monstro de sete cabeças.

Então, mais uma vez, vamos lá!

ações

Afinal o que é a Bolsa de Valores?

A Bolsa de Valores brasileira, conhecida como B3, é o local onde ocorrem as negociações de compra e venda de ativos emitidos por empresas. Esses ativos são as chamadas ações. Importante dizer que na Bolsa de Valores é possível negociar outros ativos além de ações.

A Bolsa de Valores funciona organizando o mercado. Ela funciona como um “ponto de encontro”, onde quem tem ações e quer vender encontra quem quer comprar essas ações.

Os benefícios disso para os investidores são eficiência e liquidez, além de poder diversificar com pouco. 

Há alguns anos as operações deixaram de acontecer por meio do que era chamado o pregão viva voz e passaram a ser realizadas de forma totalmente online (pregão eletrônico), via home broker — plataforma que toda corretora de valores, ou banco de investimentos, possui.

O que são as ações?

Uma ação pode ser entendida como um “pedaço” de uma empresa negociada na Bolsa de Valores. As empresas que abrem seu capital levantam recursos para investir no seu crescimento. Os investidores, em troca, recebem parte dos lucros distribuídos (dividendos) ou ganham com a valorização das ações.

O preço das ações varia de acordo com a lei da oferta e da demanda. Basicamente, quando há mais compradores a um determinado preço, a ação sobe. Quando há mais vendedores, o preço cai.

Além disso, os preços das ações no curto prazo tendem a refletir expectativas dos investidores em relação ao futuro e, no longo prazo, os preços das ações tendem a seguir a mesma direção do lucro das empresas, subindo ou caindo.

O que é uma corretora de valores?

Para negociar na bolsa, quem deseja se tornar investidor precisar ter uma conta em uma corretora — instituição financeira que é autorizada a operar no pregão. São elas que recebem as ordens de compra ou de venda e executam as operações na B3 em nome deles.

Em geral, para abrir uma conta em uma corretora de valores será necessário o envio de alguns documentos pessoais de identificação e preencher alguns cadastros. Com a conta aberta, será possível realizar transferências para que os recursos financeiros possam ser usados na compra de ações.

É preciso avaliar fatores importantes tais como taxa de corretagem, a facilidade de uso dos sistemas, a disponibilização de relatórios e orientações sobre investimentos, entre outros.

Quanto custa investir em ações?

Por padrão, a maioria das ações são negociadas em lotes de 100. Portanto, para a compra de um lote de uma ação que custe R$ 25,00 seria necessário aplicar R$ 2.500,00.

Mas é possível adquirir quantidades pequenas de ações no chamado mercado fracionário, onde elas não são negociadas em lotes, mas sim individualmente. Então, neste exemplo, somente R$ 25,00 seriam necessários para realmente começar a investir.

Existem outros custos envolvidos tais como:

– Taxa de Corretagem: é um valor cobrado, para a remuneração das corretoras de valores, cada vez que alguém compra ou vende ações. Existem formas distintas dessa cobrança, podendo variar entre um valor fixo ou por um percentual. Hoje a maioria das corretoras possui taxa de corretagem zero.

– Taxa de Custódia: é uma remuneração à corretora pela guarda das ações ao longo do tempo. Hoje a maioria das corretoras possui taxa de custódia zero.

– Taxas da B3: são taxas que a própria bolsa cobra, como emolumentos (taxa de negociação), taxa de liquidação, taxa de manutenção, taxa de custódia. Essas taxas estão caindo com o passar do tempo.

– Imposto de Renda: sobre os ganhos de capital obtido pelos investidores, há incidência de Imposto de Renda. Existem exceções a essa regra entre elas a exceção de R$ 20 mil por mês em vendas de ações. Se o investidor realizar vendas abaixo desse valor, no mês, está isento do Imposto de Renda. Existem investimentos que não possuem isenção desse imposto, não importa o valor obtido com ganho de capital como, por exemplo, fundos imobiliários, ETFs, opções, BDRs Day-Trade.

Esse imposto é pago através da DARF. Se você quiser entender mais sobre esse assunto, visite nossa área do Blog aqui.

Qual é a melhor estratégia para investir em ações?

Aqui é necessário esclarecer duas coisas: não existe uma só maneira para investir em ações e você precisa entender qual é o seu objetivo ao realizar esse tipo de investimento, pois ações são um investimento de risco.

Além disso, é preciso entender seu próprio perfil de investidor: conservador, moderado ou arrojado. Descobrir seu tipo de perfil é algo que demanda autoconhecimento e vem com o tempo.

Por isso, é importante estudar e ter seus objetivos definidos antes de investir.

Mas vamos te passar alguns modelos básicos de estratégia de investimento em ações.

Swing Trade

São as operações de compra e venda de ativos/ações na Bolsa de Valores com duração de dias, semanas, meses e, em alguns casos, até anos.

Essas operações consistem basicamente em comprar uma ou mais ações em um dia e aguardar para vendê-las quando for mais conveniente para o investidor. De modo geral, investimentos com horizontes de alguns dias, semanas ou meses – até um ano – são considerados de curto prazo.

Buy & Hold

É também chamado de position trade. Essa estratégia consiste em investir para o longo-prazo, podendo durar anos ou até décadas.

O investidor estuda bem a empresa que quer investir e compra ações com a cabeça de se tornar “parceiro” da empresa por bastante tempo. 

Day trade

São as operações de compra e venda de ativos/ações no mesmo dia, pelo mesmo investidor, usando a mesma conta e na mesma corretora. São operações de curtíssimo prazo.

A liquidação de um day trade é exclusivamente financeira. As ações não transitam pela carteira de custódia do investidor.

É importante saber que operações no day trade são consideradas de alto risco e são indicadas para traders experientes e com preparo para lidar com ganhos e perdas significativos.

Long & Short

A operação mais tradicional em bolsa de valores é a compra de ações, conhecida como “long”. Mas é possível operar de outras maneiras. É possível realizar negociações baseadas na venda de papéis (essas operações são recomendadas para quem possui alguma familiaridade com o mercado).

Operar vendido — “short” é o mesmo que vender ações antes mesmo de comprá-la. Para executá-las é preciso fazer um aluguel de ações. O raciocínio de uma operação vendida é o de vender ações e recomprá-las mais tarde por um valor mais baixo, embolsando a diferença. Ou seja, é tentar lucrar não na alta de uma ação, mas na sua queda.

Se o cenário visualizado pelo investidor não se concretizar (se as cotações dos papéis subirem), o resultado será o prejuízo.

O que são as análises?

Como já dissemos anteriormente, investir em ações requer também estudos, que envolve também uma análise de investimentos.

Existem dois tipos principais de análises aplicadas ao mercado de ações: a análise técnica e a análise fundamentalista.

Basicamente a análise técnica parte do princípio de que as informações relacionadas a uma ação são expressas em seu gráfico de preços. O objetivo é conseguir “ler” o pulso do mercado e lucrar com a tendência de alta ou de baixa.

Já a análise fundamentalista é realizada por investidores de mais longo prazo, onde o objetivo é entender a saúde financeira da companhia, se ela vai lucrar mais no futuro e, principalmente, quais motivos farão com que esse cenário futuro se materialize.

Se você quer entender mais detalhadamente como funcionam as análises e as diferenças entre elas, é só clicar aqui.

Sabemos que para quem é novo em investimentos na bolsa de valores, ter que se familiarizar com diversos termos e conceitos pode parecer um bicho de sete cabeças. Mas esperamos ter ajudado a esclarecer um pouco esse mundo.

Lembre-se: o mercado de ações é um mercado de risco, por isso é importante que você esteja bem informado.

E o que é o Velotax?

O Velotax é a parte que facilita a sua vida nesse mercado, pois como vimos, entre seus custos está o Imposto de Renda, com suas regras e exceções. 

Para facilitar o cálculo e a declaração do seu IR, acesse a plataforma do Velotax gratuitamente.
Se você já fez seu cadastro, clique aqui.
Se ainda não fez seu cadastro, clique aqui e descomplique seus impostos já! https://www.velotax.com.br/register

O Velotax é seguro?

Milhares de pessoas já emitem sua DARF pelo Velotax.

O Velotax é a plataforma mais conhecida do mercado para quem precisa emitir suas DARFs e pagar IR em investimentos.

São centenas de reviews positivos sobre o Velotax. Acesse o Trustpilot do Velotax e veja por si mesmo.

Além de ser a melhor plataforma para declarar IR sobre seus investimentos, o Velotax é completamente gratuito.

Você não paga nada e pode ainda usar um serviço de primeiríssima classe. 

Tá esperando o que? #joganovelotax

valores