Diferença entre análise técnica e a análise fundamentalista

Olá Velotaxers, estão bem por aí? Hoje vamos trazer para vocês as maiores diferenças entre a análise técnica e a análise fundamentalista.

Vamos expor a vocês pontos que auxiliem na decisão de qual técnica utilizar na hora de realizar a análise, e os principais usos de cada uma. A ideia aqui é fornecer ferramentas que ajudem você, investidor, a tomar as melhores decisões e não apontar qual análise é melhor que a outra.

Essa decisão será sua.

Então, vamos lá?

análise

Afinal, o que é análise de ações?

A análise de ações consiste em avaliar as ações negociadas na bolsa de valores. Para se avaliar uma ação, pode-se considerar o preço que se paga pelo ativo, a qualidade da companhia por trás daquela ação e variações de preço ao longo do tempo.

Ainda, para elaborar uma boa análise de ações é importante conhecer quais são os principais métodos utilizados no mercado e entender principalmente as diferenças entre eles. Aqui apresentaremos a análise fundamentalista e análise técnica.

Aprender a fazer análise de ações é um dos passos principais de todo investidor iniciante (ou não) no mercado financeiro.

Com isso temos que a análise de ações é o procedimento que fornece ao investidor uma avaliação dos ativos disponíveis na bolsa. A estratégia consegue trazer dados relevantes e que ajudam a avaliar os riscos e o potencial de retorno de investimento.

A partir disso, é possível fazer escolhas mais seguras sobre quais ativos adquirir para compor a carteira.

Mas, mais importante do que saber o que é uma análise, é a escolha dessa análise, que deve ser feita considerando o objetivo e o perfil do investidor.

Definições de análise técnica e fundamentalista

Podemos trazer a definição da análise técnica como um estudo em gráfico do movimento do preço de uma ação, utilizando indicadores de curto prazo, para identificar o cenário de maior probabilidade de acontecer com aquele ativo nos próximos minutos, horas, dias, semanas e até mesmo meses.

Já a definição de análise fundamentalista apresenta-se como uma pesquisa sobre as perspectivas de valorização de uma ação, para um período mais longo, considerando não só seu preço, mas também a saúde financeira e a governança da empresa.

Vamos falar da análise técnica

Também conhecida como análise gráfica de ações, a análise técnica é uma ferramenta utilizada por investidores profissionais (conhecidos como traders), ou amadores, para o estudo do mercado de renda variável, assim como o de ações. Especialmente no curto e curtíssimo prazo.

A análise técnica foi popularizada pelo jornalista Charles Dow, fundador do Wall Street Journal e que também empresta seu nome ao mais tradicional índice acionário dos Estados Unidos, o Dow Jones.

Para Dow, um investidor que tivesse apenas informações públicas (ou seja, não tivesse acesso a informações privilegiadas) à sua disposição dificilmente conseguiria lucrar com uma ação tentando precificá-la de modo mais eficiente do que o mercado inteiro.

O objetivo dessa análise, que também pode ser definida como o estudo dos preços e de seus volumes, é determinar a tendência de uma ativo, por meio do rastreio do comportamento da oferta e da demanda.

Essa análise é formada por um conjunto de ferramentas gráficas que estudam o preço e o volume dos ativos. Através dela é possível encontrar a tendência de um determinado papel baseando-se no volume, quantidade de ativos para negociação na Bolsa, e na oferta, que é a quantidade de compradores interessados.

Um conjunto de indicadores é utilizado para observar o movimento de preço de uma determinada ação e, assim, determinar o cenário de maior probabilidade de ocorrer no futuro próximo.

Importante: a análise técnica não consegue prever o que vai acontecer na Bolsa com certeza, não se trata de uma definição exata. A análise consegue ver padrões e tentar apontar se uma ação vai cair ou subir ali a alguns minutos, horas ou dias.

Trata-se de um direcionamento para o caminho com mais chances de acontecer e trazer bons resultados.

Um dos instrumentos dessa análise é o gráfico de ações, que pode ser em linha, barras e candlesticks. O papel do gráfico de ações é basicamente mostrar a movimentação dos preços de uma determinada ação ao longo do tempo. O período pode variar entre minutos, horas, dias, semanas, meses e até anos, dependendo do que você quer analisar.

Vamos falar da análise fundamentalista

A análise fundamentalista é aquela que estuda os fatores econômicos e a saúde financeira das empresas listadas na Bolsa. É um método usado na avaliação da saúde financeira e organizacional de uma empresa.

O precursor dessa técnica foi Benjamin Graham. Ele defendia que o preço de uma ação deve refletir a expectativa de lucros futuros, tendo em vista seu fluxo de caixa em determinado momento.

Ou seja, ele buscava indicadores do sucesso futuro a fim de identificar empresas que possuem um potencial de crescimento e valorização. Um de seus alunos é o multibilionário e empresário americano Warren Buffet. Ele é conhecido por utilizar a estratégia de buy and hold.

Veja, essa estratégia consiste em comprar ações de empresas que passam por alguma crise ou estão subvalorizadas e aguarda períodos de médio e longo prazo com expectativa de valorização do ativo em carteira. Para identificar essas oportunidades, ele e outros investidores utilizam a análise fundamentalista.

Ela recebeu esse nome por envolver a observação de fundamentos — que são indicadores que podem dizer muito sobre a companhia. Um exemplo de fundamento é o EBIT (Earning Before Interest and Taxes, ou lucro antes de juros e Imposto de Renda).

Ele indica o lucro da empresa depois de se descontar as despesas operacionais, mas antes de deduzir juros e Imposto de Renda. O EBIT e outros indicadores aparecem no DRE (Demonstração de Resultados do Exercício) da empresa.

As companhias divulgam seus resultados trimestralmente e o mercado costuma aguardar os dados com uma certa expectativa. Ao analisar os fundamentos, é possível comparar os resultados de uma empresa com os de outra semelhante. Desde que sejam do mesmo setor e de tamanho similar.

Ela consegue projetar resultados no longo e no médio prazo e, assim, determinar um preço justo para as ações, considerando os aspectos macro e microeconômicos que impactam diretamente em seu desempenho na Bolsa.

Nessa ferramenta de análise são considerados os fatores da economia no geral, como taxa de juros, inflação, decisões públicas, as informações do setor em que a empresa em análise atua e os aspectos qualitativos e quantitativos da organização, como balanços, receitas, lucros, administração, entre outros.

Assim, a análise fundamentalista tem como base o uso de dados econômicos, indicadores do mercado financeiro, balanços e resultado das empresas, além de métodos próprios a fim de identificar perspectivas e oportunidades de mercado.

Um grande objetivo dessa análise é lucrar na diferença de preço de compra e venda de ações com foco no longo prazo, por meio de estudos da situação da empresa e perspectivas conjunturais futuras.

Os principais fundamentos dessa análise são:

Ambiente Macroeconômico: considera o nível de atividade (PIB, emprego, renda), inflação, taxas de juros e taxa de câmbio

Panorama Setorial (Mercado Interno e Externo): analisa o tamanho e o faturamento, a capacidade instalada, a tecnologia e novos produtos

Análise da Empresa: análise histórica do desempenho econômico-financeiro

análise

E agora, qual eu uso?

Ambas são muito utilizadas por quem já investe no mercado acionário e possuem concepções completamente diferentes, mas não necessariamente opostas. Elas são essenciais para entender quais serão os movimentos futuros dos preços dos papéis negociáveis e fundamentais para traçar uma boa estratégia de trading.

Ou seja, é necessário que você investidor tenha em mente bem claro como e em qual momento você quer investir na bolsa. É essencial que você tenha definido quais serão as suas metas ao operar ativos.

Seja no longo ou curto prazo, você precisa definir isso, de maneira clara, objetiva e depois escolher qual será a análise a ser utilizada, a análise que te ajudará a conseguir os seus objetivos!

Como o Velotax fica nisso?

Além de transmitir um conhecimento básico sobre essas duas análises, que são essências para que você tenha maior sucesso, o Velotax te ajuda na hora de pagar os impostos sobre os lucros obtidos com os seus ativos. Sim, nós te ajudamos com a DARF mensal, criamos um histórico de pagamento e deixamos essa parte da sua vida organizada. 
Se você já fez seu cadastro, clique aqui
Se ainda não fez seu cadastro, clique aqui e descomplique seus impostos já! 

O Velotax é seguro?

Milhares de pessoas já emitem sua DARF pelo Velotax.

O Velotax é a plataforma mais conhecida do mercado para quem precisa emitir suas DARFs e pagar IR em investimentos.

São centenas de reviews positivos sobre o Velotax. Acesse o Trustpilot do Velotax e veja por si mesmo.

Além de ser a melhor plataforma para declarar IR sobre seus investimentos, o Velotax é completamente gratuito.

Você não paga nada e pode ainda usar um serviço de primeiríssima classe. 

Tá esperando o que? #joganovelotax

análise