Renda passiva: o que é e como funciona

Olá Velotaxers, como vão? Renda passiva. Você possivelmente já deve ter ouvido esse termo.

Em geral é acompanhado das palavras dividendos, ações, fundos imobiliários, entre outros termos.

Mas você sabe o que é a renda passiva? Como obter uma renda passiva? Onde procurar isso?

Se você respondeu “não” para qualquer uma das perguntas acima ou mesmo se respondeu sim, e quer saber mais sobre como funciona essa forma de rentabilidade, você está no artigo certo.

Como esse é um assunto que rende muito, não vamos nos alongar aqui e vamos logo para o que interessa, que é conteúdo informativo.

Então, vamos lá!

renda

O que é renda passiva?

Renda passiva é todo e qualquer tipo de receita que você recebe sem fazer esforço, sem contrapartida. Em outras palavras, é quando há aumento de capital sem que haja investimento massivo e contínuo de tempo e/ou mão de obra, por exemplo.

Mas é importante mencionar que, mesmo que não haja um trabalho ativo para a obtenção da renda, não estamos falando de nenhuma fórmula mágica aqui.

Diferença entre renda passiva e renda ativa

A renda ativa é o oposto da renda passiva. Ela depende diretamente de um esforço da pessoa, de algum trabalho efetivo. Ou seja, se trabalhar, ela terá uma remuneração.

Caso contrário, não. Assim, a renda ativa sempre estará vinculada a algum trabalho desempenhado e deixa de ser recebida quando algum esforço para de ser realizado.

O mercado de ações e a renda passiva

O mercado de ações é visto como uma das opções de renda passiva, porém, é preciso ter consistência nos investimentos para que ela aconteça e consciência dos riscos do investimento.

Ele é uma boa alternativa para quem quer investir pensando no longo prazo. 

É importante mencionar que dentro do mercado de ações é considerado como renda passiva uma a ação que paga um dividendo.

Vamos listar algumas opções de renda passiva no mercado financeiro.

Dividendos

O objetivo de toda empresa é gerar lucro aos acionistas. Ao adquirir uma ação, você se torna dono de uma fração dela, a partir desse momento é um de seus proprietários, garantindo o direito de receber uma parte dos resultados correspondente à fração da qual se tornou dono.

Quando uma empresa distribui uma parte do lucro aos acionistas, dizemos que eles receberam dividendos.

A Lei das S.A.s requer que as companhias de capital aberto distribuam um dividendo mínimo de 25% do lucro aos acionistas. 

No entanto, nem todas empresas da Bolsa pagam efetivamente dividendos.

A periodicidade dos pagamentos pode ser trimestral, semestral ou anual, isso varia por empresa. As ações que pagam dividendos todo mês, até o momento são o Itaú e o Bradesco. 

Apesar da recente alta dos juros no Brasil, há ações pagam dividendos acima da taxa Selic (no momento em que esse artigo é redigido, a taxa Selic é de 6,25% ao ano), entre elas estão: 

CSN Mineração – CMIN3

Banco do Brasil – BBAS3

Engie Brasil – EGIE3

Bradesco – BBDC4

Uma observação importante: o preço das ações sobe ou desce diariamente, por isso fique atento as suas estratégias.

Ainda, os dividendos são isentos de impostos, que já são pagos, numa alíquota de 34%, quando a empresa apura o lucro bruto. Quando a empresa distribui o lucro líquido aos acionistas, o valor é isento de impostos, que já foram pagos antes.

Mas isso vale apenas para pessoas físicas. Se você comprar ações enquanto pessoa jurídica, estes também terão de pagar impostos.

A outra forma de distribuição dos lucros é o pagamento de juros sobre o capital próprio. Nesse caso, os acionistas pagam 15% na fonte de Imposto de Renda enquanto o lucro bruto fica isento.

Nesse momento (outubro de 2021), está em discussão a reforma tributária que pode colocar uma taxa de imposto ao dividendo pago pelas empresas no Brasil, mas ainda não há nada definido.

Apresentamos uma lista de ações que podem pagar dividendos:

Banco do Brasil – BBAS3

Engie Brasil – EGIE3

Bradesco – BBDC4

Taesa – TAEE11

Copel – CPLE6

BB Seguridade – BBSE3

Plano & Plano – PLPL3

AES Brasil – AESB3

Santander – SANB11

Cesp – CESP6

Itaú Unibanco – ITUB4

CTEEP – TRPL4

Cyrela – CYRE3

Sul America – SULA11

EDP – ENBR3

Vale – VALE3

Cury – CURY3

Banrisul – BRSR6

Cemig – CMIG4

Sanepar – SAPR11

 *é importante destacar que as ações listadas nesse artigo não são recomendações de compra

Dividendos em BDR

Essa é uma sigla para Brazilian Depositary Receipts, que funcionam como recibos de ações de empresas estrangeiras que são negociados na Bolsa brasileira.

As ações de diversas empresas são compradas e depositadas por um custodiante no exterior. Fica a cargo deste custodiante, por sua vez, emitir recibos para essas ações e estes recibos serão negociados na B3.

Além disso, o investidor em BDR, como os recibos estão atrelados às ações das empresas, também tem acesso a uma parte dos lucros gerados pelas companhias, os chamados dividendos.

Para receber os proventos é necessário que a empresa tenha lucro e decida distribuir parte desse resultado entre os sócios. Se os sócios americanos receberem os dividendos, os donos brasileiros dos BDRs também recebem. Essa é uma decisão que varia de empresa para empresa, assim como o valor que será pago.

É preciso que o investidor tenha o BDR na sua carteira na data determinada. Então, no dia estabelecido, o valor determinado por ação é creditado em reais na sua conta na corretora aqui no Brasil.

A regra da tributação que os dividendos pagos pelos BDRs possuem uma mecânica tributária diferente dos dividendos de empresas brasileiras.

No exterior, especialmente nos EUA, os dividendos têm um tributo cobrado na fonte. Por lá, 30% do valor dos dividendos vai ser retido na fonte como forma de imposto. Ainda, existe uma taxa que varia de 3% a 5% sobre o pagamento que fica retido no custodiante (empresa financeira que gerou os BDRs).

Então, de 65% a 67% restante do valor é o que chega na sua conta da corretora aqui no Brasil.

Apresentamos uma lista de BDRs que mais pagaram dividendos em 2020:

Costco Wholesale – COWC34

Altria Group – MOOO34

Telefonica – TLNC34

AT&T – ATTB34

Exxon Mobil – EXXO34

Kraft Heinz – KHCB34

Itl Business Machines – IBMB34

Abbvie – ABBV34

Unilever – ULEV34

Chevron – CHVX34 

*é importante destacar que os BDRs listados nesse artigo não são recomendações de compra

Fundos imobiliários

Fundos imobiliários são fundos que incluem, além da aquisição dos direitos reais sobre os imóveis, investimentos relacionados ao mercado imobiliário. 

Também possuem títulos relacionados ao mercado imobiliário como as letras de crédito imobiliário (LCI), letras hipotecárias (LH), cotas de outros FII, certificados de potencial adicional de construção (CEPAC), certificados de recebíveis imobiliários (CRI) e outros que são previstos em regulamentação. 

Ao investir em um FII, o investidor torna-se um cotista, um titular do fundo, na proporção de quanto investir. No entanto, o cotista não pode exercer qualquer direito sobre o imóvel e também não responde pessoalmente por qualquer obrigação legal. 

O investidor consegue montar uma carteira de fundos imobiliários que paguem até 9% ao ano de dividendos. Fundos imobiliários possuem o costume de pagar dividendos todos os meses e, é preciso mencionar que fundos repassam a inflação sobre os aluguéis e por consequência aos dividendos também.

Alguns investidores possuem a estratégia de reinvestir os dividendos no fundo. Verifique se essa não pode ser também uma estratégia para o seu perfil.

Temos uma diversidade de FIIs no mercado, tais como: 

FIIs de Shopping

FIIs de lajes corporativas

FIIs de galpões logísticos

FIIs de hotéis

FIIs do setor educacional

FIIs de hospitais

FIIs de agência bancárias

FIIs de fundos

FIIs de desenvolvimento imobiliário

FIIs de recebíveis imobiliários

FIIs híbridos (papel e tijolo) 

Aqui nesse artigo, nós explicamos a diferença entre cada um desses fundos e detalhamos um pouco mais esse ativo. 

Embora a reforma tributária ainda esteja em discussão, a hipótese da tributação de dividendos de fundos imobiliários já foi afastada. No entanto, isso pode mudar. 

Até aqui, você entendeu duas modalidades de renda passiva: os dividendos e os fundos imobiliários, porém sobre esses temos a questão tributária e a reforma tributária em andamento, vamos dar uma olhada melhor nisso.

Reforma tributária: como fica para quem investe na bolsa?

Reformular o sistema tributário nacional é o que a Reforma Tributária Nacional se propõe, buscando a simplificação da arrecadação de taxas, impostos e contribuições, através de modificações na atual legislação. 

A motivação para que essa reforma saia finalmente do papel é baseada na elevada cobrança de impostos e da sua complexidade nos cálculos. 

O impacto sentido para quem investe no mercado de ações ainda não está definido. Quando se trata de fundos imobiliários o que se espera é que esses continuem isentos de tributação, em relação aos dividendos que são distribuídos.

Porém quando falamos em ações, até o momento da redação desse artigo, isso ainda está bem indefinido.

Nesse artigo aqui, tratamos detalhadamente sobre todos os impactos da reforma, além do que já trouxemos anteriormente.

E o que é o Velotax?

O Velotax é a parte que facilita a sua vida nesse mercado, pois como vimos, entre seus custos está o Imposto de Renda, com suas regras e exceções. 

Para facilitar o cálculo e a declaração do seu IR, acesse a plataforma do Velotax gratuitamente.
Se você já fez seu cadastro, clique aqui.
Se ainda não fez seu cadastro, clique aqui e descomplique seus impostos já! 

O Velotax é seguro?

Milhares de pessoas já emitem sua DARF pelo Velotax.

O Velotax é a plataforma mais conhecida do mercado para quem precisa emitir suas DARFs e pagar IR em investimentos.

São centenas de reviews positivos sobre o Velotax. Acesse o Trustpilot do Velotax e veja por si mesmo.

Além de ser a melhor plataforma para declarar IR sobre seus investimentos, o Velotax é completamente gratuito.

Você não paga nada e pode ainda usar um serviço de primeiríssima classe. 

Tá esperando o que? #joganovelotax

renda